Saturday, February 20, 2010

E agora, Tremendão?


Vou dirigindo para o trabalho. Um monte de CDs estão espalhados pelo banco do passageiro, porque eu sou pobre e não tenho um iPod.

“O que escutar hoje?”

- Tremendão, cadê você? – eu pergunto ao nada.

Tremendão?

É, eu sei. Eu gosto do Erasmo.

Ah, parem de me julgar!

Pelo menos eu não acredito em macumbas ou nos atos humanitários do Bono.

Uma vez, quando eu tinha 7 anos, a minha tia Telma me levou para um hotel chique do interior pra passar o ano novo. E o Tremendão estava tocando lá. Eu fiquei louca, gritei, esperneei, pulei, dancei e, em bravos pulmões soltei: “Eu sou terrível!”

Depois olhei bem pra cara do Erasmo e indaguei:

- Tremendão!

Ele falou:

- Oi.

Foi mágico! Simplesmente mágico.

Mas hoje eu penso: “Pobre Tremendão. Acabou tendo que tocar numa festa de ano novo interiorana para poder tirar uns trocados depois de velho”.

Enfim.

Lá estava eu dirigindo para o meu trabalho na empresa mais legal do mundo.

Na via expressa, um carro me corta. Eu fico puta.

Demoro quase um minuto inteiro para abaixar o vidro do meu carro – que é de manivela -, e grito: “Eu sou terrível! Minha caranga é máquina quente!”

O motorista idoso me mostrou o dedo do meio e continuou arrepiando pela pista.

- Tremendão, você viu isso? Velhinhos não são nada inocentes. Aonde esse mundo vai parar? – eu converso com meu rádio.

Continuo na minha faixa dos tartarugas, porque eu gosto de dirigir assim, devagar, pra dar tempo de fumar mais cigarros pelo caminho.

Finalmente saio da via expressa e entro no bairro empresarial. Uma Mercedes Benz colada no rabo do meu Chevroletinho.

- Mas que coisa! Eu vou virar a esquerda, sai da minha cola, seu rico sem paciência!

Ele continua colado em mim. Eu volto a ficar puta.

- Aposto que é um velho. Velhos malditos. Querem chegar mais cedo ao trabalho? Por que não saem mais cedo de casa, então?

Ele me passa. Era um velho. Eu sabia! De cabeça branca e tudo. Tipo uma versão gringa do Cid Moreira.

Aliás, que tipo de nome é Cid? Quem, alem do Cid Moreira se chama Cid? Você conhece algum? Eu não.

Enfim.

Velhos ricos são um cú pra conferir. Eles se acham a última bolacha do pacote. A última coca-cola do deserto.

Passei o cabeça branca gritando junto ao Tremendão:

- Pode vir quente que eu estou fervendo!

Olhei pro rádio de novo e falei com o Erasmo:

- Vamo lá, Tremendão! Agora é com a gente!

O cabeça branca ficou doido. Olhei para a cara de velhote engomado dele pelo retrovisor e peguei ele, fazendo uma cara de desafio.

- Iguais a você, eu apanhei mais de cem, velhote! Vamo pra guerra, Cabelos de Neve!

Ele me cortou.

Eu mostrei o dedo do meio pelo retrovisor. Depois passei o velhote de novo enquanto gritava:

- Vai chupar pinto, sua peça de museu!

Entrei na rua da HBO, ele foi me seguindo.

- Ah, você quer briga, velhote? É briga que você terá!

Estacionei o carro na minha vaga de sempre. Vi o velhote se aproximando com o carrão dele.

Foi aí que ele estacionou... na vaga que dizia: “PRESIDÊNCIA”.

Fiquei branca, minha boca secou, minhas mãos coladas no volante e o suor escorrendo pela minha testa. Meu queixo, agora, estava sentindo a borracha da embreagem – porque eu sou pobre e não tenho carro automático.

- O que eu falo pra ele agora, Tremendão?

E o Tremendão responde:

- Mas é que eu tenho que manter a minha fama de mal.
- Não, não... Isso não vai ajudar, Erasmo!

Saí do carro. O cabeça branca me olhou nos bem nos olhos e perguntou:

- Nome?
- Carolina.
- Eu quis dizer sobrenome.
- Ah, Sbaile.
- É um prazer tê-la na HBO, Srta. Sbaile.

“Eu acabei de mandar o presidente da HBO ir chupar pintos! E agora?” – pensava comigo mesma enquanto sentia os primeiros sintomas de um ataque cardíaco.

Se eu quisesse manter aquele emprego, adivinhem quem teria que começar a chupar pintos?

O cabeça branca não falou mais nada, mas isso é porque ele não conhecia o Tremendão; senão teria me dito:

- Você não sabe de onde eu venho, o que eu sou e o que tenho. Eu sou terrível! Vou lhe dizer que ponho mesmo pra derreter! Estou com a razão no que digo, não tenho medo nem do perigo, minha caranga é máquina quente. Garota que andar do meu lado, vai ver que eu ando mesmo apressado... Eu sou terrível!

Entrei no estúdio.

- Ralph, eu mandei o presidente da HBO ir chupar pintos!
- Sbaile, você é meu ídolo.
- Ah, valeu. Isso me serve mesmo de consolo!
- Vamos trocar de mesas hoje. Você usa o meu computador que tem internet.
- Por quê?
- Pra começar a procurar um emprego novo.

Fiz uma careta e falei a única palavra adequada que rimava.

Neste ponto da história, vocês já sabem o que rima com careta, leitores.

BUCETA!

4 comments:

Vebis Jr said...

Meu, como não gostar de um texto tão descorrido e solto deste????

Tu sumiou da minha vida! Espero que esteja bem. Meu mais novo msn é vebisjr@hotmail.com me add lá e botamos fofocas em dia!

schulai said...

Só você para realizar essas proezas! Você deveria mandar o seu blog para o presidente! Quem sabe ele não transforma seu blog em uma série!!!

Bjs

Anonymous said...

sbaile... meu pai dirige mal pra cacete... sim... ele tem cabelos brancos... rssss...

tecituras said...

" Aperte a minha mão, esse caminho é a solução..." Ronny Vonn...

beijosss
Gi

Post a Comment